terça-feira, 24 de novembro de 2009

ENCONTROS CASUAIS


vezes há que transcendemos
aos burburinhos momentâneos
nos
distanciamos

da peleja do dia a dia
pedras do caminho

dores físicas e morais

deixamos para trás
cicatrizes abertas
dúvidas e incertezas

fala-nos o íntimo
oculto sempre
das máscaras das Conveniências

e, na essência, momentos únicos,
nos achamos Entes especiais
regaço de ternuras e de paz


além do medíocre do cotidiano
das representações sociais
padronizada da identidade

ah, raros instantes,
imersões na alma
retempera e revigora !

depauperados ânimos
desbotados sorrisos
limites saturados


e nos revitalizamos
nesses encontros casuais
entre o Ser e o aparente Ser ...




15 comentários:

Felipa disse...

Repito o convite, poeta: visite a página do fórum http://nossogrupo.com.pt/forum/index.php
ou então http://nossogrupo.com.pt/forum/poesia.php
Inscreva-se e escreva sobre o que quiser. Somos poucos mas queremos ser muitos, será muito bem vindo.
Continuação de um bom trabalho, abraço.

Anônimo disse...

Belo poema poeta amigo bjus.

Enviado por Soninha Poetisa em 24/11/2009 18:11
para o texto: ENCONTROS CASUAIS (T1941944)

(RECANTO DAS LETRAS)

Anônimo disse...

A energia da vitalidade contida e expressada em versos surreais da alma poeta! lindo poema... bjs e meu carinho menino lindo..

vania

Enviado por Vania Staggemeier em 24/11/2009 17:56
para o texto: ENCONTROS CASUAIS (T1941944)

(RECANTO DAS LETRAS)

Anônimo disse...

Olá Ediloy!! MARAVILHOSO TEU TEXTO... REFLEXIVO....CONCORDO COM VOCÊ...REVIGORA, ENCHE DE ENERGIA PARA CONTINUAR....Parabéns!!! .Sucesso hoje e sempre.. Que Deus te abençoe e continue te dando inspiração para nos brindar com outros belos poemas. .


Enviado por Grácia Kátia em 24/11/2009 17:48
para o texto: ENCONTROS CASUAIS (T1941944)

(RECANTO DAS LETRAS)

Anônimo disse...

belissima definição poeta amigo!!!me vejo nesta escrita ,busca interminavel,definição despercebida,é preciso sentir ....sempre

Rô de Paula
rodepaula67@uol.com.br
29/11/2009

Anônimo disse...

Amigo Poeta, sagrados encontros com nós mesmos, onde acabamos envolvidos em nossa solidão por algo que parece ser maior, onde de sujeito passamos a ser visitante, e de alguma forma a receber a emanação de presenças benditas que nos provocam a memória, que nada dizem, diz então o nosso coração, apenas estranha saudade... Fraterno Abraço!

Gilberto Brandão Marcon
gilbertomarcon@uol.com.br
29/11/2009

Anônimo disse...

Encontros com nosso interior,são de fato casuais,
Bella poesia

soraia
Ciganita
soraiassantiago@hotmail.com
29/11/2009

Anônimo disse...

Caro poeta eu penso que os encontros casuais são os castigos que a vida nos imputa perante á falta de disposição em não nos proporcionar estes momentos de rara felicidade. Estamos sempre tão ocupados tão dispersos que nos esquecemos que são os pequenos detalhes que fazem a diferença e que adoçam os amargores do nosso cotidiano.

, lindo. lindo bravo poeta, aplausos de pé.

J.A.Botacini

Zezinho.
Jose Aparecido Botacini
ze-botacini@hotmail.com
29/11/2009

Anônimo disse...

Oi!

Esses encontros sao minimos, amigo.
Tenho pra mim que "voce so se encontra pra dormir", pois ao londo dos dias somos aquele somatorio indescritivel que arruina com nossa personalidade e essencia.
Seu poema e lindo, e macho, mas delicado.
Seu poema fala da maior das angustias do nosso tempo.
Parabens, Poeta!

Abel Puro
abelpuro@ig.com.br
29/11/2009

Anônimo disse...

Superamos obstáculos resultado dos nossos conflitos, ultrapassamos o castigo que a vida nos impõe e incontramos um oásis de ventura que vem rastaurar o nosso íntimo. Nos encontros do ser e o que aparenra ser, não há casualidade, tudo já está adrede determinado.

Parabéns!
ubirajara
caravanapoeta@yahoo.com.br

Anônimo disse...

Muitas vezes, precisamos ter paixão pela vida, né?? Um encontro casual, com qualquer coisa que nos faz sair do cotidiano, nos faz sentir vivos! Uma vez, há mais de dez anos, saí da Vasp (eu trabalhava lá) e fui para o ponto de ônibus, debaixo de chuva, mais de 23 h da noite, sozinha, cansada da lida, aí um carro parou pra mim, era meu pai rsrsrsrs que coincidência, ficamos tão contentes, afinal, eu era feliz e não me achava no momento anterior. Beijão!

Elisa Maria Gasparini Torres
emgari@yahoo.com
28/11/2009

Anônimo disse...

Olá, Ediloy!

Um poema rico na descoberta entre o Ser sociável e a busca de si mesmo. Nem todos somos o que de fato gostaríamos de ser. Uma máscara às vezes nos cobre a alma! Este é o retrato de nossa tão falada sociedade, nem tanto democrática assim com as pessoas que nela habitam.
Sábios versos! Parabéns!

Abraços,

Priscila
Priscila Brandão
pris-brandao@hotmail.com
29/11/2009

Anônimo disse...

OLÁ AMIGO QUERIDO!
A essencia de suas letras perfumadas...
Me remetem a um tempo magico...
ONDE OS SONHOS PARECIAM ACONTECER COM MAIS NATURALIDADE...
E o "encontro casual" sempre perfeito a alma o poeta e o espirito sempre alerta...
Amei...
Teu poema admiravel poeta!


Vania
Vania Staggemeier
vaniastral@yahoo.com.br
30/11/2009

Anônimo disse...

As cascatas de utopias vivem a jorrar de nós...
"Encontros casuais" é simplesmente lindo!
Não é de se estranhar vindo de você, que é a própria poesia!

meu carinho........
Gloria Salles
sallesgloria@yahoo.com.br
30/11/2009
--------------------------------------------------------------------------------
Olá, Ediloy!

Um poema rico na descoberta entre o Ser sociável e a busca de si mesmo. Nem todos somos o que de fato gostaríamos de ser. Uma máscara às vezes nos cobre a alma! Este é o retrato de nossa tão falada sociedade, nem tanto democrática assim com as pessoas que nela habitam.
Sábios versos! Parabéns!

Abraços,

Priscila
Priscila Brandão
pris-brandao@hotmail.com
29/11/2009
--------------------------------------------------------------------------------
belissima definição poeta amigo!!!me vejo nesta escrita ,busca interminavel,definição despercebida,é preciso sentir ....sempre
Rô de Paula
rodepaula67@uol.com.br
29/11/2009
--------------------------------------------------------------------------------
Amigo Poeta, sagrados encontros com nós mesmos, onde acabamos envolvidos em nossa solidão por algo que parece ser maior, onde de sujeito passamos a ser visitante, e de alguma forma a receber a emanação de presenças benditas que nos provocam a memória, que nada dizem, diz então o nosso coração, apenas estranha saudade... Fraterno Abraço!
Gilberto Brandão Marcon
gilbertomarcon@uol.com.br
29/11/2009
--------------------------------------------------------------------------------
Encontros com nosso interior,são de fato casuais,
Bella poesia

soraia
Ciganita
soraiassantiago@hotmail.com
29/11/2009
--------------------------------------------------------------------------------
Caro poeta eu penso que os encontros casuais são os castigos que a vida nos imputa perante á falta de disposição em não nos proporcionar estes momentos de rara felicidade. Estamos sempre tão ocupados tão dispersos que nos esquecemos que são os pequenos detalhes que fazem a diferença e que adoçam os amargores do nosso cotidiano.

, lindo. lindo bravo poeta, aplausos de pé.

J.A.Botacini

Zezinho.
Jose Aparecido Botacini
ze-botacini@hotmail.com
29/11/2009
--------------------------------------------------------------------------------
Oi!

Esses encontros sao minimos, amigo.
Tenho pra mim que "voce so se encontra pra dormir", pois ao londo dos dias somos aquele somatorio indescritivel que arruina com nossa personalidade e essencia.
Seu poema e lindo, e macho, mas delicado.
Seu poema fala da maior das angustias do nosso tempo.
Parabens, Poeta!
Abel Puro
abelpuro@ig.com.br
29/11/2009
--------------------------------------------------------------------------------
Superamos obstáculos resultado dos nossos conflitos, ultrapassamos o castigo que a vida nos impõe e incontramos um oásis de ventura que vem rastaurar o nosso íntimo. Nos encontros do ser e o que aparenra ser, não há casualidade, tudo já está adrede determinado.

Parabéns!
ubirajara
caravanapoeta@yahoo.com.br
29/11/2009
--------------------------------------------------------------------------------
Muitas vezes, precisamos ter paixão pela vida, né?? Um encontro casual, com qualquer coisa que nos faz sair do cotidiano, nos faz sentir vivos! Uma vez, há mais de dez anos, saí da Vasp (eu trabalhava lá) e fui para o ponto de ônibus, debaixo de chuva, mais de 23 h da noite, sozinha, cansada da lida, aí um carro parou pra mim, era meu pai rsrsrsrs que coincidência, ficamos tão contentes, afinal, eu era feliz e não me achava no momento anterior.

Beijão!

Elisa Maria Gasparini Torres
emgari@yahoo.com
28/11/2009

Anônimo disse...

Mensagem referente ao texto: ENCONTROS CASUAIS
Taís
Linda reflexão em forma de poesia! Adorei: "...fala-nos o íntimo, oculto sempre, das máscaras das conveniências ... instantes raros, imersões da alma, retempera e revigora! ...e nos revitalizamos nesses encontros casuais" .
Quantas vezes temos vontade de tirar as máscaras e sermos mais nós, e então vem a sociedade cheia de "padrões" alguns tão bobos que só destroem a verdadeira imagem do Ser Humano!!!
Bjs Taís

(espaço literário- o melhor da web)