sexta-feira, 7 de setembro de 2012

VOOS SEM ASAS

O poeta alija a razão,
No ilógico da lógica
apreende a emoção, 
Tateia em sussurros
Gemidos intramuros

Atormentados homens

Pseudos poderes
Nos turbilhões dos reinados
Atoleimados nas rotinas
À deriva de sentidos

Pássaros submetidos
A andar, a sonhar,
Em paisagens distantes
Nas nuances difusas
Das alegrias e sofreres

Apenas no divagar

Atenta, e ecoa,
Imagina, sonha,
Abre as asas
Sente, não voa... 






9 comentários:

Dulce Morais disse...

Pode não voar, mas os seus versos voam até ao leitor, leves e belos.

Anônimo disse...

Voo sem asas! Poema singelo que refrigerou minha alma neste feriado, que descansa para começar mais um dia de labuta!
Parabéns Poeta! Continue nos dando o prazer de refrigerar nossa alma com estes poemas lindos!

Magda Pinheiro
magda@tecval.com.br
07/09/2012

(SITE DE POESIAS)

Anônimo disse...

O poeta faz seus pensamentos voarem em busca de inspiração e com ou sem sentido da vida aos seus versos, por outro lado o poeta por mais que ele tente alar-se não é o suficiente para alcançar alturas... Belo e reflexivo texto, meus aplausos.

J.A.Botacini.

Zezinho.
Jose Aparecido Botacini
ze-botacini@hotmail.com
07/09/2012

(SITE DE POESIAS)

Anônimo disse...

Linda a sua poesia sobre o poeta, um apreendedor da emoção,
Parabéns !


Apenas no divagar
Atenta, e ecoa,
Imagina, sonha,
Abre as asas
Sente, não voa...

Madalena
madalenafp@yahoo.com.br
07/09/2012

(SITE DE POESIAS)

Anônimo disse...

07/09/2012 20:01 - Beth Lucchesi

Voa e como voa...viajei nas asas de teus versos. Belo poema.

Para o texto: VOO SEM ASAS (T3870465)

(RECANTO DAS LETRAS)

Anônimo disse...

07/09/2012 19:48 - valene:

Ou voa no poema? vc acabou de voar e pousar em outros lares!

Para o texto: VOO SEM ASAS (T3870465)

(RECANTO DAS LETRAS)

Anônimo disse...

Bom dia poeta querido! O poeta tem e não tem o domínio sobre Si. É sobre tudo gigantesco, no que lhe diz respeito, seu poder é absoluto, qualquer que seja o sentimento. Portanto, não voa mais, se sente nas alturas...Explodindo estrelas em plena amargura..rs..Sensacional ! Aplausos!

Bjs
Xama
xama_12@hotmail.com
11/09/2012

(SITE DE POESIAS)

Anônimo disse...

Caro Poeta, versos de conteúdo bastante interessante, dado que parece que justamente um certo estado de impotência acabe por dialeticamente gerar um estado criativo. Boas reflexões para alimentar mentes inquietas. Parabéns!

Gilberto Brandão Marcon
gilbertomarcon@uol.com.br
19/09/2012

(SITE DE POESIAS)

Anônimo disse...

19/09/2012 20:59 - Fernando A Freire:

Em relação ao universo, até as montanhas estão em movimento. Estamos, também, nós. Voamos sem o perceber, ora em sonhos ultraleves, ora em inesperados voos rasantes. O aparentemente ilógico são as asas da lógica.

Para o texto: VOO SEM ASAS (T3870465)

(RECANTO DAS LETRAS)