terça-feira, 19 de janeiro de 2010

REENCONTRO


do estupor
a um susto
despertou
abespinhado
para a vida

sonolento,
vago,
descortinou
o que via

em suas parcas
palavras ocas
tentou expressar
o que sentia

e nos sussurros
de suas dores
íntimas
brotaram lágrimas

filetes d´àgua
não comoviam
os que passavam
dele riam

e a necessidade,
real, dolorida,
presente, intensa,
cobrava atitudes

e numa folha
rascunhou anseios
desejos e medos
brotou sentimentos

emoções não vendem
apascentam
a escassez da alma,
não trazem alimentos

o corpo reclama
mais que lamentos
tem sede, tem fome,
delírios em tormentos

ineficaz temática
lavras soltas
versos rotos
não bastavam

pôs a indumentária
socialmente aceita
fêz-se compenetrado
seguindo a multidão

conseguiu uma vaga
um título, profissão
da janela do edifício
vê as coisas, em asas

e na imaginação
recupera a sua lira
há tempos desprezada
pelo terno e a gravata

em sonhos,
devaneios,
reencontra
sua jornada...




11 comentários:

Anônimo disse...

Mensagem referente ao texto: R E E N C O N T R O
tais
poeta !

Linda sua reflexão poética!
bjs Taís Mariano
20/01/2010

(Espaço Literário - o melhor da web)

Anônimo disse...

Comentário de Sandro Pinto:

Muito bom! O bom filho à casa da poesia volta. O importante é aprender a lição, não é mesmo? Gostei da biografia dos muitos pródigos que retornam ao lugar de onde não deveriam ter saído. Como você diria: meus aplauso!!! Sandro Pinto.

(Verso & Prosa)

Anônimo disse...

Comentário de Albérico Silva de Carvalho:

Ediloy, excelente." Acordou aborrecido para vida".As vezes é necessário, faz parte.

(Verso & Prosa)

Anônimo disse...

Comentário de João Elias Poeta:

Muito linda sua poesia! A vida é feita de encontros, desencontros e reencontro. Parabéns poeta.

(Verso & Prosa)

Anônimo disse...

A liberdade de ser é algo complexo e e acaba sendo superada pela liberdade de estar. Texto forte e bem realista. abços
Enviado por NINFEIA G em 20/01/2010 14:37
( Recanto das Letras)

Anônimo disse...

Em meio ao caminho eis que se veem...atalhos.
Enviado por Liane Furiatti em 20/01/2010 14:33
para o texto: R E E N C O N T R O (T2040940)

(Recanto das Letras)

Anônimo disse...

Gosto desse jogo de palavras!!!
Enviado por Lahaina em 20/01/2010 14:30
para o texto: R E E N C O N T R O (T2040940)

(Recanto das Letras)

Anônimo disse...

Querido poeta, vc anda inspiradíssimo.
Não! Eu não daria risada dele. Eu diria: sobreviva, mas não esqueça teu dom, que tudo se siga em retas paralelas. Como creio que Deus escuta a oração de quem busca ter vitórias pessoais, sem destruir o próximo, eu sei que Ele manda flashes de ânimos! Beijos

Elisa Maria Gasparini Torres
emgari@yahoo.com
03/02/2010

Anônimo disse...

Caro poeta os indivíduos com pouco conhecimento de si mesmo tendem a maltratar-se porque não conseguem lidar com as suas próprias desventuras. Toda via quando nos propomos a mudar precisamos ter em mente que devemos seguir em frente procurando caminhos que possam nos levar ao encontro com o nosso destino. Lindas reflexões, Parabéns.

J.A.Botacini

Zezinho.
Jose Aparecido Botacini
ze-botacini@hotmail.com
03/02/2010

Anônimo disse...

Simbolismo agudo reencontrando na sua alma ares nostálgicos de séculos passados. Parabéns por tão bela arte.

Daniel Rosa
daniel_rosa2003@yahoo.com.br
03/02/2010

Anônimo disse...

Bom Dia Poeta!

É dificil questionar o que vai dentro de cada um.
Acho que se a gente quer mudar, não tem que se preocupar
com o julgamento dos outros.
Satisfazer a nós mesmos antes de tudo.
Claro que primeiro devemos saber e compreender se a nossa
mudança será positiva, boa para nós e principalmente se não
vamos prejudicar a outrem.

Não sei se me fiz entender Poeta, mas tentei.
Abraço e parabéns!
♫Carolina
Carol Carolina
carolinafagundes1@hotmail.com
04/02/2010